DEPENDENTES DA GRAÇA | Por Lara Dias

Hoje eu vim falar de graça!

Nós que escrevemos para o blog somos nada mais e nada menos do que instrumentos de Deus para falar com vocês leitores, através de experiências individuais, pessoais e espirituais, Deus nos dá bagagem para em palavras, em nossos textos, ministrar a vida de vocês que tem nos acompanhado. Mas, o fato de Deus assim nos usar, não nos torna imunes ao que todos nós (enquanto não estivermos com o Pai) podemos passar, afinal somos humanos, e também vejo que nossa função não nos torna melhor que ninguém, pois nosso propósito é servir com o que temos, estamos sujeitos a falhar, mas enquanto estivermos cientes que estamos e na verdade somos em todo tempo dependentes da graça de Deus, ELE não hesitará em nos usar para alcançar a cada vida que até aqui nossas palavras inspiradas por ELE alcançaram . Não há motivos para se vangloriar, apenas reconhecimento de que se não fora o Senhor, quem seríamos?

O Apóstolo Paulo passou por inúmeras situações difíceis, mas em todas elas Deus não o deixou, e pelo contrário do que se pode pensar, esses momentos só trouxeram a ele intimidade com Deus. Mas também passou por momentos com Deus que foram únicos para ele viver, para que o poder de Deus se aperfeiçoasse em seu caráter, e para que não se gloriasse daquilo que vem de Deus, ele assim como nós também enfrentou momentos de glória e provações, que dia a dia o relembravam que sua vida é fruto da graça de Deus, o exemplo mais citado por homens (mulheres) de Deus, é o espinho na carne que Paulo sofreu, mencionado em II Coríntios 12, na bíblia não relata o que ao certo era esse espinho na carne, mas, fato é que para que não se gloriasse da experiência que Deus o fizera ter, Deus permitiu que Paulo sofresse tal aflição para que Deus continue sendo Deus, e Paulo sendo Paulo, seu servo.

“Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado ao terceiro céu. Se foi no corpo ou fora do corpo, não sei; Deus o sabe.
E sei que esse homem — se no corpo ou fora do corpo, não sei, mas Deus o sabe —
foi arrebatado ao paraíso e ouviu coisas indizíveis, coisas que ao homem não é permitido falar.
Nesse homem me gloriarei, mas não em mim mesmo, a não ser em minhas fraquezas.
Mesmo que eu preferisse gloriar-me não seria insensato, porque estaria falando a verdade. Evito fazer isso para que ninguém pense a meu respeito mais do que em mim vê ou de mim ouve.
Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi-me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar.
Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim.
Mas ele me disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim.
Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.”
2 Coríntios 12:2-10

Primeiramente não quero lhe causar espanto, a tal ponto de não buscar viver experiências com Deus, mas quero reforçar que o que ELE nos permite viver, ver e sentir não é para que venhamos nos gloriar, pois a glória pertence única e exclusivamente a ELE, que é o Rei da glória. Neste texto de II Coríntios, Paulo foi conduzido em vida ao 3º céu. Você tem noção do que isso quer dizer? Você tem noção de como ELE era visto aos olhos de Deus para merecer tamanha intimidade? Sim, intimidade vem de busca, de conquista, Paulo, era um homem escolhido por Deus, e como disse era homem, sujeito às mesmas paixões que nós, ter essa experiência talvez inflamasse seu coração de orgulho e autoconfiança, a talvez um ponto de se achar igualmente à Deus, afinal, que pessoa que é grandemente presenteada não inflama seu ego pelo senso de merecimento?

Talvez você se pergunte: por que Deus então permitiu que Paulo vivesse tal experiência para que depois viesse a sofrer na sua carne?

Calma! Deus não queria castigar Paulo e nem o fez, mas Deus acima de tudo queria mostrar sua graça a ele.

Podemos ter experiências com Deus, profetizar, orar, expulsar demônios, ter sonhos e visões, e com isso nos achar super-heróis, nos achar inabaláveis. Mas, sabe o que percebo com isso? Quanto mais Deus nos permite “ir além”, mais dependentes DELE somos, muito mais. Creio que o ego de Paulo não se inflamou, mas Deus quis mostrar a Ele que diante de toda a glória que Ele pode viver, e até mesmo presenciou, a graça é o que sustenta, não é merecimento, mas aquilo que Ele não merece.

Podemos subir “ao céu” não de forma literal, mas ao caminhar com Jesus de forma  e consequentemente colher frutos dessa “carreira” que caminhamos com Ele , mas, isso não nos faz ser Ele, fama, aplausos, reconhecimento, inflame de ego, não nos faz ser Deus, apenas expõe o quão miseráveis somos dependentes da graça de Deus. A caminhada de Paulo me mostra isso, quanto mais fraquezas sua carne estava sujeita, mas o poder de Deus se aperfeiçoava nEle, crescimento espiritual dói, mas é necessário, quanto mais crescemos, mais pequenos perante Deus vemos que somos!

One Reply to “DEPENDENTES DA GRAÇA | Por Lara Dias”

  1. Paulo Freire says:

    Uaaauuuuuuuuu, agora sim.

Comentários fechados.