DESCOBRI QUE EU NÃO PRECISO DE AUTO ESTIMA | Por Giselle Prado

Oi? Como assim?

Há meses que Jesus vem falando comigo sobre “auto estima”. No começo eu não estava sabendo discernir, mas algo me incomodava sempre quando eu ouvia falar sobre “auto estima”, algo louco, afinal de contas falamos muito de assuntos da alma aqui no blog e hoje os púlpitos e blogs estão repletos de mensagens de auto ajuda, falando a respeito de auto estima, o “aceite a si mesmo”. Mas será que não estamos indo contra os princípios que Jesus nos deixou?

Talvez, esse texto irá te confrontar. O desejo do meu coração é proclamar aquilo que Ele me pede para compartilhar com vocês, por mais doido que seja…

Jesus então me confrontou dizendo no início do ano:

“Giselle, você não precisa de auto estima!”

Logo rebati: Como assim, Jesus, eu não preciso de auto estima? Eu preciso me amar. Eu preciso estar bem comigo mesma. E eu preciso ajudar as pessoas a se amarem e estarem bem consigo mesmas. 

Após, nossa conversa e o retiro de jovens da minha igreja, Ele ministrou em meu coração.

  • O que é auto estima

Primeiro, entenda que auto-estima é a avaliação que fazemos com relação ao nosso valor, competência e propósito, implicando fatores internos (sentimentos) e externos (aparência).

  • A busca errada

A busca por uma boa auto estima tem levado a muitos jovens cristãos a morte espiritual, acredite você ou não. A linha entre auto estima e ego é muito tênue e como consequência disso, vemos a geração mais mimada de todos os tempos. A busca pelo Eu acho, eu sinto, eu, eu, eu e eu. Não necessitamos de uma boa auto estima. Necessitamos de Deus. A nossa busca está com foco errado. Mas há esperança! Ele está falando conosco, porque nos ama.

  • Equilíbrio

O amor em si mesmo como uma auto-obsessão pode nos colocar em apuros. Não precisamos de uma auto-imagem melhorada. Não precisamos de MAIS auto-estima. E nós certamente não precisamos de mais amor-próprio.

“Por isso, pela graça que me foi dada digo a todos vocês: Ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, ao contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu.” 
Romanos 12:3

“Ninguém tenha de si mesmo um conceito MAIS elevado do que deve ter”, isso é ter equilíbrio em entender o seu valor perante Deus, como filho e filha amado de Deus, mas não adorar a si mesmo. É entregar suas emoções, auto estima e avaliações à Deus. Ao entregar isso à Ele, não iremos mais nos machucar com as pessoas ou sair feridos das igrejas. Não iremos nos afundar em depressão e melancolia. Seremos homens e mulheres maduros que se importam com a opinião de Deus.

  • Negue o seu ego massageado

Auto estima, significa uma avaliação de si próprio e ego significa eu. Em uma cultura onde se é pregado que precisamos de auto estima, caímos no laço da idolatria do nosso próprio eu.

“Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me” (Lucas 9:23).

Veja, Jesus não disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, que goste de si mesmo” ou “vá e ame a si mesmo.” Em vez disso, Ele disse: “negue a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me.” No original da palavra “negar” significa repudiar, desdenhar, renegar, perder, desconsiderar totalmente. Forte, né?

Mas será que não estamos indo totalmente contrário a isso? Será que não estamos interpretando a bíblia como nos convém interpretar? Entendemos que cruz são as injustiças que comentem conosco e que negar a nós mesmos e vencer tentações. Carregar nossa cruz e negar a nós mesmos é vencer as tentações, mas também entregar nossos direitos e tudo aquilo que consideramos “certo e errado”. Nós precisamos da palavra de Deus e não de frases de efeito ou mensagens de auto ajuda.

  • Geração que ama a si mesmo, mas não ama a Deus

Há uma ilusão de que não nos amamos, mas será mesmo?

Jesus, compreendia que é impossível o ser humano não amar a si mesmo, já que o mesmo SEMPRE está buscando os seus próprios interesses. Como prova disso, na maioria de seus sermões Jesus alerta para não se preocuparem com o amanhã e buscarem o Reino de Deus em primeiro lugar.

“Ame o seu próximo como a si mesmo”

Jesus não quis dizer “Primeiro aprenda a amar a si mesmo, e depois ame o próximo.” Mas Ele afirma que assim como já nos amamos, assim amemos o seu próximo.

Precisamos desconsiderar os nossos achismos sobre uma geração que não se ama. Como podemos dizer que sofremos de auto estima, devido a nos sentirmos rejeitados, humilhados, ou ego ferido? Será que não é justamente isso ser um verdadeiro cristão? Jesus, deixou claro que seriamos odiados. Que sofreríamos perseguições. Que sofreríamos humilhações. E que devíamos lutar contra nós mesmos.

Nossa geração é a geração mais “narcisista” de toda a história, porém a geração que menos ama a Deus e a prova está na propagação das mensagens de auto ajuda. O foco já não está em Deus, mas no homem. Está em como agradar os homens, e depois a Deus.

Como então dizer que não nos amamos, se a cada dia que passa procuramos mais os nossos próprios interesses e não os interesses do Reino de Deus?

  • Se importe com a opinião de Deus sobre você 

Quando falamos que não nos amamos, muito provavelmente estamos fazendo uma avaliação segundo a opinião de terceiros ou segundo nossa própria opinião e não segundo a opinião de Deus. E certamente tendemos sempre a errar, mas Deus não. Ele nos conhece melhor que nós mesmos.

Quando sondamos o nosso coração e fazemos uma auto avaliação segundo a avaliação de Deus, entendemos o nosso valor perante Ele. Entendemos que precisamos buscar ser aceitos por Deus e não por homens. E isso nos leva a negar a nossa busca pelos nossos próprios interesses e aceitação pelo mundo. Lutamos para sermos ser aceitos nos reino dos céus.

Dessa forma, a palavra “auto estima” deixa de ser tão presente e constante em nosso vocabulário.

Então quer dizer que devemos ter uma baixa auto estima e uma auto imagem ruim? Não! Mas é vigiar para não sermos os nossos próprios deuses e vivermos uma vida de ilusão, achando que somos tão frágeis e coitadinhos que precisamos constantemente de mensagens que massajem o nosso ego e passem a mão na nossa cabeça.

É entender o que realmente nos deixa para baixo, deprimidos e com uma auto estima baixa não é o que vemos com os nossos olhos o que é aparente, mas o que vem de dentro, do nosso coração como Jesus disse:

“Mas as coisas que saem da boca vêm do coração, e são essas que tornam o homem ‘impuro’. Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias”

(Mateus 15:18-19)

Ou seja, o que nos deixa para baixo não é o cabelo da outra menina que é mais bonito que o nosso, mas é a inveja e a comparação que entra em nosso coração. Não é a namorada ou popularidade que vemos do garoto que nos deixa para baixo, mas é o ciúmes e obsessão de ser melhor que o outro.

Olhe o que Paul Washer diz a respeito de auto estima:

 

“Eu ouço os pregadores de hoje. Eles dizem: “Não. Não, não, não, não, não. Você não entende, irmão Paul. Nós não somos como as pessoas do tempo de John e Charles Wesley. Não somos como a cultura que Whitefield se dirigiu ou Edwards. Não somos tão robustos como eles são. Nós estamos quebrados. Nós não temos tanta auto-estima. Nós somos frágeis. Nós não conseguimos suportar pregação como aquelas. 

Ouça-me. Alguma vez você já estudou a vida destes homens? A cultura deles também não podia suportar o que eles pregavam. Ninguém jamais foi capaz de suportar a pregação do evangelho. Ou eles se virarão contra ela com uma fúria de um animal ou eles se converterão.

E para dar-lhes uma coisa sobre nós sermos frágeis e não termos auto-estima: o nosso país e este mundo estão saturados com esta enfermidade nojenta da auto-estima. Nosso maior problema é que nós nos estimamos mais que estimamos a Deus.”

Que fique aqui então o alerta para todos nós. Que caia todo o poder de vanglória e ilusão.

Nossa geração está enferma por não querer encarar a verdade. Por não querer comer do Pão verdadeiro que desce a goela sem tempero.

Ao manifestarmos a Verdade, haverá cura sobre a nossa nação. Mais palavra de Deus. Menos mensagens de auto ajuda.

“Quem se gloriar, glorie-se no Senhor” (2 Co 10: 17)