EM REFORMA | Por Giselle Prado

Um dos presentes mais significativos que já recebi.

Esse cartão prega mais que muitos sermões por aí…

Ganhei essa lembrança de um amigo, irmão, que viajou para a Suíça e visitou os lugares, palco da Reforma Protestante. Como lembrança, ele me trouxe esse presente simples, mas marcante com uma dedicatória no verso.

Refletindo…

O que temos vivido como igreja brasileira? Ou o que deveríamos viver? Por acaso haveria avivamento sem a reforma? Haveria cura de uma nação sem a restauração da igreja? Os reformadores entenderam e viveram um avivamento, quando entenderam que não deveriam pular etapas. Será que não estamos pulando etapas? Era preciso reestabelecer os princípios. Lutar pela essência pura e simples. Assim, os reformadores fizeram.

A reforma antecede o avivamento. A reforma é tão importante quanto o avivamento. Não há um sem o outro.

Se queremos ser restaurados como igreja e como sociedade brasileira, que antes de clamarmos tanto por um avivamento como tem sido feito, nos sujeitemos à reforma esperada por Ele. Abracemos esse tempo tão precioso que estamos vivendo.

Não foi fácil entender isso. Ele tem me desconstruído. Conceitos e convicções que tinha por certo, se transformaram em pó. Mas não se assuste, eu estou em obras. Ele me chamou para uma reforma interna.

Gratidão aos valentes reformadores que guardaram o amor, a fé e a esperança em uma Essência incorruptível.