ESCOLHI NÃO DESISTIR | Por Giselle Prado


Durante um culto glorioso ministrado pelos jovens da minha igreja, a palavra do Senhor veio a nós baseada na vida de Daniel.

Daniel, um simples adolescente, mas cheio de coragem que decidiu dizer NÃO aos padrões e costumes do reino da Babilônia, onde foi levado cativo com mais três amigos, quando ainda eram muito jovens, disse NÃO a contaminação e a lógica do reino (mundo), não se assentando na mesa do rei. Ele tinha a convicção firme dentro dele a Quem ele servia. E mesmo frente às situações que poderiam levá-lo a morte física, ele não perdeu a sua identidade como servo fiel do Senhor. Ele enfrentou as situações impostas sobre ele sem temer os homens, mas confiando no amor de Deus.

Deus então ministrou em meu coração e após tal culto maravilhoso, sondei meu coração…

Vivo fugindo da ilusão, mas ela vive me cercando por todos os lados com pessoas e situações.

Banquetes divinos vêm até a mim, muitos eu neguei, mas muitos outros eu aceitei.

A culpa não melhor que a ilusão vem, é claro que vem. Seu grito é tão intenso e “verdadeiro” que muitas das vezes não só abri meus ouvidos para ouvi-la, mas como também, a porta do meu coração para acolhê-la. O medo vem independente dos acertos ou erros, ele vem. E é preciso olhar para ele com CORAGEM e com a certeza dentro de si de que NÃO HÁ O QUE TEMER, nem mesmo o medo de sentir o medo.

A tristeza corre, corre depressa sem demora e sem intervalos para descansar. Ela vem sem razões ou explicações. Ela simplesmente vem. Para ela se satisfazer basta um lugar vazio, vazio do amor… Vazio de JESUS. Então ela começa a gritar todas as coisas tristes, imundas, tudo o que deu errado ou que ainda nem mesmo aconteceu.

A murmuração não muito atrás, não se desgruda da tristeza é sua prima e irmã da falta de gratidão, também não perde tempo.

E eu? Eu continuo a prosseguir em direção ao Perfeito, fugindo das paixões desse mundo, caindo e levantando, rindo e chorando. Lutando a cada segundo contra tais sentimentos que estão por aí, vagueando… Querendo um lugar para se instalar.

Enquanto me houver o fôlego da vida eu não desistirei.

Pode vir a culpa, o medo, a tristeza e a até a mesmo a murmuração, eu sempre rebaterei com a palavra do meu Senhor. Ele é o meu Deus. O meu ser é a Sua morada e nela só há lugar para habitar a luz, a paz, a santidade e a comunhão com meu amigo Jesus.

Obrigada Senhor!

O que achou desse texto? Deixe seu comentário ❤