ESTOU EM OBRA | Entulho emocional

1546154_984037124950156_8357812052855304421_n copy

Ombros pesados. Coração apertado. Olhar carregado de dores, mágoas e decepções passadas, caminhava…

Caminhava por dentro da casa de um lado para o outro, entre os móveis antigos e desorganizados. Era a consequência de situações acumuladas…

Ouvia de longe “troque os móveis e se preciso for, jogue fora”.

Era Ele dizendo a respeito de mim, do meu coração. Somos casa, lugar de Deus, Sua habitação. A obra então começou…

Relacionamentos que não deram certo, amizades quebradas, o ente querido que se foi, as crises existenciais e de aceitação, a lista é imensa dos móveis sujos, antigos e empoeirados, mas era preciso de uma atitude. Qual?

Entre um móvel e outro, era difícil de caminhar. Não havia espaço. Onde estava a liberdade? Se escondeu? Se perdeu? Era achado apenas entulhos emocionais passados. Situações diversas acumuladas que gritavam por ORDEM! Eu estava cansada como se estivesse levando uma carga pesada em meus ombros. Ele mostrou! Aquilo não era vida. Mostrou que se faz necessário estarmos dispostos todos os dias a jogar fora tudo que nos traz tristeza, que nos faz mal, que nos faz sofrer e nos impede de caminhar e mais do que isso, impede dEle habitar em nós com o Seu amor e graça, pois Ele quer fazer habitação em nós gerando uma vida verdadeira.

Móveis antigos. Repletos de história, porém são tantos que acabam nos aprisionando em um passado não tão feliz. Seus tons de desgastes nos mostram o efeito da tristeza e do sofrimento. Decidi então dizer adeus e retirar de mim tudo o que me travava, aprisionava e sobrecarregava não me deixando ser feliz. Não me deixando caminhar. Não me deixando viver.

Móvel por móvel dando adeus…  Ombros, coração e mente tomando leveza para voar. Estou em obra, mas um dia essa casa terá a Sua perfeição. Quanto a mim? Prossigo limpando, me desfazendo e jogando fora entulhos que não me servem mais.

Essas situações das quais se tornam difíceis de esquecer devido ao fato da sua intensidade de maldade, como traumas de infância, bullying, traição, abuso sexual dentre outras situações, a escolha é nossa permanecermos com elas, revivendo, convivendo e nos impedindo de caminhar e crescer ou sermos livres. Não fomos feitos para viver do passado por mais maravilhoso que ele tenha sido também. E caso tenha sido terrível é necessário jogar fora, isso é ESQUECER! E quando digo esquecer o que quero expressar é dizer adeus a algo que não deve pertencer a você, ou seja, deixar de ficar relembrando e revivendo acontecimentos ruins. Troque os móveis!

(…) esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, (…) Filipenses 3:13

Infelizmente a grande realidade é que temos uma tendência a nos apegarmos as coisas como também a situações… Sabe aquele monte de papel, ou aquelas roupas que não servem mais ou aquelas coisas antigas que você não se desfaz pois se apegou a elas? Pois é… Porém que proveito tem, se não apenas ocupar espaço impedindo que coisas novas possam chegar e se acomodar?

Dizemos “não irei ser trouxa novamente como fui, por isso não irei esquecer isso” e então revive e mergulha em meio ao entulho emocional guardado dentro de você. Não nascemos para viver em meio a entulhos. Seja livre e busque o novo de Deus para a sua vida.

“E assim; se alguém está em Cristo é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” 2 Coríntios 5.17.

 Estou em obra!

O que achou desse texto? Deixe seu comentário ❤