EU NÃO SEI CUIDAR DE MIM, DEUS SABE | Por Núbia Fagundes

“Teimosia não é dom”, sempre dizia meu pai. Realmente não é, mas eu sempre insisti, afinal, quem sabe, talvez, por alguma circunstância aqui ou lá, eu estivesse certa. Hoje em dia as coisas mudaram um pouco, já não ouço essa frase com tanta frequência vindo da parte dele, mas é nessa frase que penso em todas as vezes em que me machuco por causa da minha insistência.

Sempre fui muito ansiosa, ou seja, nunca soube esperar por algo de forma tranquila. A necessidade de estar no controle de tudo sempre esteve presente na minha vida, e entender que não existe auto-suficiência quando se trata do Reino foi –e ainda é– muito complicado. Ser dependente quer dizer ter confiança total, como ter certeza de que tudo irá dar certo, e como esperar?

Quando eu era criança, era comum ouvir minha mãe dizendo: “não corra”, “não jogue isso dentro de casa”, “desça já daí”, “você vai se machucar”. Qual criança nunca ouviu frases semelhantes? E o mais incrível é que ela SEMPRE estava certa, mas, mesmo assim, nem sempre eu a obedecia. Nunca fui uma criança rebelde, precisava de um deslumbramento muito grande para que não obedecesse aos conselhos dos meus pais, mas, quando acontecia, era certeza de que daria errado. Eu costumava gostar muito de correr pelo quintal da minha casa, e, no final das contas, acabava sempre de joelhos ralados, e é assim que me sinto hoje quando não dou ouvidos aos avisos de Deus.

Deus sempre avisa, não é? Mas eu sou teimosa, vocês sabem disso. Ele pede “Filha, não faça, você vai se machucar”, mas os meus olhos brilham tanto com meu alvo que acabo por não dar ouvidos ao Seu conselho. Então vou, e acabo me machucando toda, ralando meus joelhos e chorando por causa da dor. Como fazer com que isso pare? É aí que volto para casa, tento esconder meu machucado de todo jeito, mas é a primeira coisa que Ele vê. Ele quer limpar o meu machucado, mas eu tenho medo de que doa ainda mais, então corro e me escondo, mas Ele me acha. “Onde pensa que vai?” Ele me pergunta, então me carrega e começa a limpar minhas feridas. O medo de que a ela arda já não está mais presente, a segurança que Ele me passa extermina todo medo, eu só quero que aquilo acabe. “No que você estava pensando, eu não disse que você se machucaria?”, Ele me pergunta quando termina, então vem o arrependimento, e, o choro, que antes tinha cessado, volta ainda mais intenso. “Me perdoe, Pai. Nunca mais farei novamente”, e é ali que O sinto me abraçando.

Não foram poucas vezes em que me encontrei nessa situação, mas, em todas as vezes Ele estava lá. O que me conforta não é saber que vai sarar, é saber que não importa quantas vezes eu caia e me machuque, Ele sempre estará lá para me socorrer. O remédio cicatriza o meu machucado, mas é o Seu amor que faz a minha dor passar e o meu medo ir embora. Não importa quantas vezes eu não siga o Seu conselho, Ele sempre estará lá para limpar os meus machucados.

logonew4

Deixe uma resposta