MINHA CASA NO DESERTO | Por Lucas Santos

Os ventos com poeira do deserto atrapalham minha visão.
É meio-dia e o ensolarado verão do Egito não nos permite se refrescar.
O Sol atravessa os palácios egípcios e encontra nossos casebres de barro.
Estou chegando em casa, trazendo as roupas de mamãe que lavei no Rio Nilo próximo aonde a Rainha encontrou Moisés, auele que estão todos dizendo nas ruas, salvará nosso povo e nos levará para uma terra que mana leite e mel.
Dizem que ele encontrou Yaweh enquanto buscava uma ovelha que havia se perdido.

Hoje é pessach, estamos preparando nosso novilho e Moisés avisou todo povo que devemos manchar de sangue nossas portas e janelas. Não sei muito bem porque, mas mamãe pediu para ir dormir mais cedo, estou com medo mas ao mesmo tempo algo dentro de mim diz que seremos livres dessa prisão para sempre.

Essa poderia ser nossa história, apreensivos esperando próximo da páscoa um sinal dos céus e um mandato de Deus para atravessar o Mar e ganhar liberdade.
Descobri que o real significado da palavra Salvação aos hebreus era ESPAÇO PARA RESPIRAR. Suas casas eram pequenas, com pé direito muito baixo, o calor da região e as casas muito próximas, praticamente coladas, parede com parede, tornavam o ambiente abafado e de difícil respiração. Para eles, a promessa de um salvador significava de forma profunda, um lugar tranquilo para habitar, aonde eles pudessem respirar e receber fôlego de vida. Muitas vezes nossa vida está tão cheia de compromissos, problemas, anseios e complicações, que até nossa respiração se torna mais pesada e nossa mente não consegue mais se tranquilizar em nenhum momento. Gostaria de dizer que Jesus está manchando de sangue os umbrais da porta da sua casa, e as janelas do seu quarto. Não precisa mais ter medo, a morte, a dívida, a culpa não entrarão mais pela sua janela nesta noite.

Descanse, pois o cordeiro pascal lhe dá refrigério e espaço, espaço para Respirar.

O que achou desse texto? Deixe seu comentário ❤