NÃO NEGOCIE SUA IDENTIDADE | Por Giselle Prado

Todos os dias, praticamente, antes de eu sair de casa, me vem na cabeça:

Não negocie sua identidade.

Fazer o que eles fazem pra ser aceito. Falar como eles falam para não ser zoado, se comportar como eles se comportam… Até quando?

Vivemos uma geração onde a palavra identidade tem sido totalmente, banalizada, relativizada e distorcida. E como cristãos, somos bombardeados todos os dias por milhares de informações e ideias que tentam fazer de nós o que não fomos chamados para ser. Repito, há uma multidão querendo fazer de você e de mim, o que não fomos chamados para ser.

Hoje, quero falar de alguém que não negociou sua identidade, ainda que estivesse em um lugar totalmente imerso em ideias e princípios corrompidos.

Resolveu Daniel, firmemente, NÃO contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. (Daniel 1:8)

Provavelmente você já tenha ouvido da história de Daniel, um jovem israelita, que foi levado ainda adolescente para a Babilônia. Ele e seus amigos foram inseridos a uma cultura totalmente adversa ao que estavam acostumados.

Naquele país, Daniel e seus amigos foram bombardeados por diversas influências não cristãs, desde a forma de se alimentar até a religião. Porém, a palavra de Deus diz que esses mesmos rapazes decidiram FIRMEMENTE NÃO SE CONTAMINAR.

Sei o quão difícil é estar em um contexto, onde a maioria vive e pensa totalmente diferente de você. Daniel e seus amigos ali eram minoria assim como talvez você seja. Talvez você tenha a sensação de como estar sendo puxado para o fundo do mar. De estar sendo coagido ou ameaçado, pois se você falar discordando ou não participar de algo, será humilhado, ou irão zoar com você. E por ter esse medo, as vezes nos faltam palavras, atitudes e até mesmo forças para nos posicionar frente a essa sociedade e juventude totalmente corrompida e avessa ao que diz os princípios cristãos.

Não, não é fácil, mas se eu puder te aconselhar nesse momento, meu humilde conselho é primeiro de tudo: entenda quem você é. A chave está aí.

Daniel de certo, sabia quem ele era e tinha os princípios cristãos enraizados nele.

Identidade está totalmente ligado a princípios. Princípio em resumo significa início, fundamento, essência. Daniel sabia a sua origem. Ele sabia a onde havia sido formado. Ele sabia da essência que carregava dentro de si, e por saber disso em nenhum momento negociou sua identidade.

Porquanto, Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. (Efésios 1:4)

Entender quem você é, faz de você forte e corajoso assim como Daniel. Faz você não mendigar atenção a aprovação das pessoas. Faz você fluir a onde quer que você esteja, independente de com quem esteja.

Daniel, fluiu em uma cultura totalmente contrária à cultura que havia dentro dele.

Por isso, quem sou eu? Quem você é? Essa resposta de certo não encontraremos em nós mesmos, mas encontramos Naquele que nos criou, Naquele onde tudo começou.

Como um artista que tem autonomia pra dizer o que é a obra criada, assim é com Deus e a gente. Somente Ele tem autonomia pra dizer quem somos. Deus é a nossa origem, se olharmos pra Ele e entendermos seu coração, vamos entender quem somos.

Mas afinal o que define uma pessoa ser o que ela é? O que ela faz? Não.

O que define uma pessoa ser o que ela é a essência dela: caráter, personalidade, defeitos e qualidades. A partir disso, o que fazemos será um reflexo da nossa essência, e não ao contrário.

E o que Jesus diz quem somos? Filhos e filhas de Deus! E o que é ser filho? Ser parecido com o Pai. E como o pai é? Amoroso, fiel, justo, paciente, manso, humilde, verdadeiro… Entre muitas outras características.

Se a gente buscar ser parecido cada vez mais com o Pai, nossa identidade será forte como Ele é forte e assim conseguiremos enfrentar as muitas más influências que recebemos em todos âmbitos. Iremos nos posicionar como filhas e filhos maduros que não negociam sua identidade e princípios, mesmo frente a ameaças como perda de títulos ou cargos, ou talvez a zombarias, pois a nossa alegria está em alegrar aquele que nos deu uma identidade verdadeira e um sentido de vida.

Por isso, não fique triste ou desanimado se na sua escola, faculdade, trabalho ou enfim, a onde você estiver, as pessoas tentam fazer de você o que você não foi chamado para ser. A pressão é real e as influências ruins também. Permaneça firme com seus princípios cristãos. Não tema a zombaria ou a humilhação. Peça amor por essas vidas e pratique o amor também. É  assim fazendo a diferença como Daniel fez, dando o seu melhor em tudo o que fizer que Eles verão que há algo diferente em Deus e terão curiosidade pra saber o que você carrega. Não negocie sua identidade, pois toda luta valerá a pena.

Deixe uma resposta