NEGLIGENCIAR A ORAÇÃO CONSOME LENTAMENTE O ESPÍRITO | Por Rodrigo Brandão

Fazem muitos dias desde a última vez em que dobrei os meus joelhos em meu quarto e clamei ao Senhor de forma intencional e com qualidade. Faz tanto tempo, que eu não me recordo quando foi essa última vez. Sinceramente, eu nunca fui muito “bom” nisso desde a minha conversão. Ouço testemunhos e diversos exemplos de pessoas que tiravam – e ainda tiram – isso de letra a muito tempo. Mestres da arte da oração. Isso sempre me inspirou mas ao mesmo tempo pareceu algo distante. E é incrível como esse fundamento tão básico e primordial do cristianismo pode ser tão facilmente rejeitado. Deus nos criou para relacionamentos: primeiro com Ele e depois com o próximo. Somos seres relacionais. E, paradoxalmente, nossa carne tende ao isolamento, seguindo a mesma ordem: primeiro de Deus e depois do próximo. As consequências são evidentes e terríveis : a deterioração do nosso espírito, que vai sendo consumido lentamente ao passo que vamos perdendo a sensibilidade para tudo, no mesmo ritmo. O sentidos, que uma vez foram restaurados com tão alto preço pelo Cristo, vão se esfarelando como uma duna em meio a ventos impetuosos. É um processo sutil, porém não oculto. Eu sinto e vejo isso em mim e provavelmente você já sentiu e viu também.

A minha carne não quer se dobrar e passar tempo com o Pai porque é incrédula. A carne assimila o evento como o dito popular: “falar com paredes”. Dentro de um contexto social onde o tempo é totalmente sobrecarregado e mal administrado como o nosso, isso se inclina a uma degradação maior. “Se eu não tenho tempo nem para cuidar da minha saúde, porque vou gastá-lo com isso? Vou correr um pouco na esteira” é um exemplo que não se aplica diretamente a mim no caso, mas creio ser consistente para ilustrar o meu ponto.

Como vencer a mim mesmo? Como esmagar a minha carne e humilhá-la a ponto de nem hesitar em ouvi-la? Crendo. É pela fé, pois é sobrenatural. E a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Concluo então, que meu calcanhar de Aquiles não é simplesmente a falta de oração e sim a falta de tempo com a Bíblia. O tempo investido na leitura dessa obra tão preciosa acarreta numa vida de oração abundante, inevitavelmente. É impossível ter uma vida de oração desgarrada da Palavra. Orar e ler a Bíblia são intrínsecos e uma coisa só no cristianismo, da mesma forma que o Filho é um com o Pai.

Preciso resgatar a leitura e meditação na Palavra para a minha fé crescer e ser levado, de forma fluida, a orar. Forçar a vida de oração, queimando essa etapa necessária só me desgastará ainda mais e me impelirá a desistir devido a tamanha frustração. O título desse texto veio à minha mente e coração na noite de hoje e senti o dever de discorrer em cima dele, ainda que eu não soubesse como, inicialmente. A minha oração nesta madrugada é para que Jesus me resgate desse mar de substitutos da leitura e oração.

Pai, me lembre mais uma vez que o Senhor restaurou os meus sentidos e deseja que eu ande conforme Jesus. Seu Filho meditava em sua Palavra e falava contigo constantemente. Sendo assim, Ele era satisfeito e inteiro, preenchido pela Tua glória, não sobrando espaço para frustrações. Me ajude Senhor, pois sem Ti eu não consigo fazer nada, de fato. Me tire da complexidade dos meus erros e teimosias e me coloque na simplicidade do Seu relacionamento. Em nome de Jesus, e com sinceridade, amém.

2 Replies to “NEGLIGENCIAR A ORAÇÃO CONSOME LENTAMENTE O ESPÍRITO | Por Rodrigo Brandão”

  1. Esse texto me fez chorar <3

  2. Estou passando exatamente por isso.

    Esse texto veio do Céu. Sem dúvidas!

    Obrigada ❤🌷

Deixe uma resposta