O SER IGREJA NÃO ANULA O IR À IGREJA | Por Giselle Prado

Em uma sociedade cujo os jovens e adultos tem sérios problemas em PERMANECER em igrejas, eu não queria fazer parte disso. Não mesmo!

Por muito tempo, mas muito tempo mesmo me indaguei se ir à igreja era de fato ir à casa de Deus e se lá eu realmente encontraria uma família que eu pudesse chamar de irmãos. Eu ouvia dizer que sim, mas eu até então não tinha vivido isso plenamente. Digo no sentido integral da palavra família, não o simples estar, mas o compartilhar de alegrias, dores, assuntos sérios e aqueles tachados como bobos. Além disso, eu queria ser constante e não ir esporadicamente ou ser a irmã turista: vai uma vez a cada mês.

Então eu falava com Deus…

“Qual é a terra onde eu devo ser plantada? A onde devo crescer Contigo e ali servir também as pessoas? Onde é a Tua casa que eu vou saber que ali é a minha também?”

Pra você que me conhece, sabe que cresci em um lar cristão. Passei em uma igreja minha adolescência inteira… E apesar de muitas situações que enfrentei lá, eu agradeço MUITO a Deus por ter crescido no ministério que cresci, pois comi da palavra pura e genuína e muito do que sou hoje devo aos ensinamentos dos meus antigos pastores. Glória a Deus por esse tempo! Mas chegou o tempo de dar tchau. Eu não vivia a palavraAlegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor! ou muito menos a palavra que diz: “Uma coisa pedi ao Senhor e a procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo.” (Salmo 27:4). Eu queria viver isso integralmente! A inconstância dominava minha fase adolescente devido a diversos problemas que enfrentava no meu interior, na minha família e até mesmo na igreja então isso refletia não só no meu relacionamento com Deus como também na minha comunhão e idas à igreja.

Foram alguns meses de agonia… Eu precisava sobreviver. Eu não queria morrer espiritualmente e com toda a minha sinceridade eu estava prestes a isso. Orei! Clamei! Pedi palavras e Deus deu… Usou pessoas para confirmar, inclusive meus pais. Então pedi a benção aos meus pastores e fui em busca da Terra que eu devia ser plantada. Era um tempo novo.

Fui então para um ministério muito conhecido direcionado à jovens. Fiquei lá por um ano. Eu tinha consciência que eu não poderia me afastar da igreja, da comunidade se não eu iria esfriar. Fui muito bem acolhida pelos líderes, mas lá também não era o meu lugar. Meus pais visitaram e não gostaram… Deus então falou comigo que onde eu estava era somente para um “pouso” para eu não esfriar. Comecei a orar novamente por direção de Deus. E pedi aos meus amigos que me ajudassem. Confesso que foi um tempo difícil.

Já participando intensivamente do Avante na faculdade, eu precisava de uma igreja pra servir nela também, como também cobertura espiritual.

Tristeza, desânimo, entre outros sentimentos vieram, e eu cheguei a pensar em desistir de encontrar um lugar… Cheguei a pensar “ah, as reuniões na faculdade que fazemos é o suficiente” ou “será mesmo que ir à igreja é de fato importante?” e o lema “ir a igreja não te faz ser igreja” levado por muitos “desigrejados”. Questionamentos como esses vieram em massa.

Foi então aí que o Espírito Santo começou a falar comigo…

“O SER IGREJA NÃO ANULA O IR À IGREJA”

Jesus começou a moldar o meu coração nesse tempo de desespero e indagações… Eu não queria me perder! Ele era o bem mais precioso que eu havia encontrado. Ele cuidou de mim. Me ensinou. Me moldou. Curou minhas feridas. E começou a me ensinar que se de fato sou igreja então o lugar da minha habitação é em Sua casa. Se de fato eu vivo a frase tão clichê, o ir a igreja será uma consequência e Plus de Deus. Mas claro uma igreja que pregue o Reino de Deus. Minha visão foi expandida. Meu coração quebrado foi restaurado por Ele.

Comecei então a aceitar alguns convites feitos por um amigo do Avante para conhecer alguns projetos e culto de oração da igreja dele, IMOSP. Porque não aceitar ? Vamos conhecer! Vamos servir! Lá fomos nós … Então tudo começou aí…

Primeiro fui ao culto de oração, chamado Caçadores de Deus, que era liderado pela Ana Rock e Tiago Andrade, atuais líderes de jovens da igreja. Confesso que meu coração estava e não estava cheio de expectativa, eu só queria encontrar o lugar de Deus pra mim, mas não foi com a intenção de saber se era lá…

Cheguei! Igreja diferente, grande, e simples … Dois templos, um maior e outro menor, entre eles uma quadra (UAU) e muito espaço para eventos e abrigar missionários. Missionários ? Sim! Soube então que a igreja era focada em missões e lutava pela unidade da Noiva de Cristo, não se apegando a placas, mas sedia e sede muitas vezes o local da igreja para outras igrejas realizarem projetos ou eventos. INCRÍVEL NÉ ?!

Quando cheguei a porta do templo menor, naquela sexta, para o culto de oração e adoração, fiquei extasiada ao ver aquele lugar … Bancos de madeira, igreja simples, parecendo aquelas antigas, um piano de calda ao fundo, chão de carpete e uma arquitetura diferente.

“O que é isso o que eu estou sentindo nesse lugar?”

O pessoal do Avante estava comigo e com o Ro, entramos ao som do piano e voz do Tiago. Meu Deus, que unção! Começamos então a ir mais vezes…

Após um período, soube de projetos Evangelístico que eles faziam e comecei a me interessar a participar.

O tempo passou, mais ou menos 9 meses orando por uma direção e eis que era chegado o dia…

Mês de Outubro de 2016, domingo de sol, horário do almoço: Eu e meus pais almoçando na cozinha, à mesa, meu pai da a ideia de visitarmos uma igreja diferente. Porque não ir à IMOSP? – IMOSP, PAI?  – Assustei mas foi um susto bom. Lá fomos nós… Que dia maravilhoso! Que culto maravilhoso! Fomos tão bem acolhidos e que palavra! Genuína! O mais incrível foi a sensação que tive ao conhecer as pessoas da igreja… Foi exatamente a MESMA sensação quando conheci a galera do Avante, como se já os conhecesse há anos… Além do Feedback dos meus pais dizendo que amaram e sentiram PAZ plena.

Começamos a frequentar os cultos e orar para Deus confirmar se era ali o nosso lugar e lá estamos até hoje.

Deus tem feito coisas incríveis nesses poucos meses. Quantas histórias … Quantos milagres! Deus é bom! E viver em comunhão é ESSENCIAL! Nos traz forças e alegria.

Nossa geração precisa entender que é necessário SIM ir à igreja. Ir à uma igreja onde se viva ou busque a verdadeira comunhão entre os irmãos e pregue a palavra genuína de Deus. Pois se queremos de fato viver o evangelho, precisamos ler mais o livro de ATOS e todas as cartas de Paulo… Lá é descrito a importância de estar em comunidade em um mesmo propósito na centralidade de Jesus.

“Eu me reúno em casa com amigos e isso está bom!” 

É o que eu ouço de muitos… De muitos frustrados, decepcionados, desanimados e feridos por causa de igrejas. Mas deixa eu te dizer uma coisa que não, não está bom! Não é suficiente! Em primeiro lugar é importante saber que a “igreja” são as pessoas (os salvos), mas é importante que a igreja se reúna constantemente para estudar, orar, cantar, e um estimular um ao outro a SER igreja e para que haja crescimento no corpo de Cristo conduzindo um a um à eternidade. Veja esse versículo:

“Não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” Hebreus 10:25

Ninguém é bom suficiente para vencer a caminhada sozinho. Precisamos uns dos outros e de autoridades constituídas por Deus. Muitos estão decepcionados, frustrados e feridos devido a muitos que ousaram se levantar e começar algo não direcionado por Deus. Precisamos vigiar… Uma comunidade aberta deve ser como um hospital formado por homens e mulheres constituídos por Deus. Por isso, siga a palavra e não deixe de ir à igreja e servir sua comunidade. Peça direção de Deus. Ore. Clame. Não desista! Há lugar de terra fértil para você ser plantado.

Eu estou vivendo o que um dia pedi à Deus. Eu persisti. Eu permaneci. Eu busquei. Eu me encontrei. Foi quando eu menos esperei e de maneira que eu menos imaginei, Ele me mostrou e confirmou. Achei amigos, casa e família, um lugar pra estar e permanecer. Ser plantada e regada. Um lugar onde hoje, eu e meu noivo, temos a oportunidade de servir os jovens ajudando no ministério com amor e entrega total. E ver meus pais indo juntos comigo, não há presente melhor. Que tempo maravilhoso!

Seja igreja, mas não deixe de ir à igreja!

One Reply to “O SER IGREJA NÃO ANULA O IR À IGREJA | Por Giselle Prado”

  1. Estou desanimada mas estou indo. Não sei onde ficar.

O que achou desse texto? Deixe seu comentário ❤