PRESENTE DE 15 ANOS | Por Giselle Prado


Por que ele se manifesta quando menos esperamos e nos locais mais improváveis.

Após um ano depois de aceitar a Cristo verdadeiramente em meu coração, algo novo ardia em meu coração. Eu queria ir mais fundo com Deus. Era no ano de 2009, estava prestes a completar 15 anos. Não queria festa, nem viagem. Eu queria mais de Deus. Comecei então a pedir a Deus para que me batizasse no Espírito Santo. Orava por isso todas as noites, não de forma desesperada, mas clamando a Deus que meu ser almejava sentir algo vindo diretamente do céu. Experiências novas.

Maio, dia 28 de 2009, aniversário da minha mãe. Fizemos uma surpresa para ela aqui em casa. Chamamos toda a família e comemoramos. Rimos, conversamos, brincamos, tiramos fotos, louvamos e por fim fizemos uma roda grande na sala para orar e agradecer pela vida dela. Assim fizemos. Todos juntos de mãos dadas. Praticamente todos da minha família são convertidos e ativos no Reino de Deus, poucos ainda não se converteram. Ainda!

Começamos então a orar. Meu tio, Gildo, irmão da minha mãe ingressou a oração abençoando-a.

Lembro-me como se fosse ontem… Eu apenas dizia “amém” e “glória a Deus” assim como todos faziam. De um lado eu estava segurando a mão do meu pai e do outro lado estava segurando a mão da minha prima Paloma. De repente, Jesus chegou! Sua presença inundou a casa. Meu tio começou a falar em línguas e como fogo que se alastra, assim foi. Minha prima Talita, começou a falar também, depois minha mãe, depois a Paloma e assim foi com todos que já eram batizados no Espírito Santo. Mas e eu? Eu continuava falando “amém” e “glória a Deus” até o momento em que de repente minha prima, Paloma virou em direção a mim e colocou uma de suas mãos sobre meus ombros. No mesmo instante comecei a chorar e falar línguas estranhas. O que estava acontecendo comigo? Cheguei a pensar que eu estava louca ou que estava imitando os outros, mas algo me dizia e eu sentia, “isso não provém de você mesma, Giselle”. Chorei. Me derramei. E falei.

Ficamos mais ou menos 30 minutos nesse mover maravilhoso. Ao terminar a oração, eu estava nas nuvens! NUNCA havia sentido algo semelhante ou que pudesse ser comparado. A sensação mais maravilhosa da minha vida eu tinha vivido ali, na sala da minha casa, em um dia em que era apenas uma comemoração de aniversário.

Mas havia ainda a dúvida, “eu fui batizada?”. Logo minha prima Talita, se dirigiu a palavra e começou a dizer a respeito das visões que ela havia tido durante a oração. A primeira visão que ela mencionou foi que ela havia visto todos ali com um calçado, como botas diferentes e apenas duas pessoas com túnicas brancas. E logo em seguida ela virou em direção a mim e disse: “você não era batizada! Mas enquanto nós orávamos e você começou a falar em línguas eu vi uma serpentina de fogo que te rodeava. Você foi batizada hoje!”. As lágrimas então escorreram e eu voltei a chorar de agradecimento, de alegria, de louvor ao meu Senhor que havia escutado as minhas orações e feito de uma forma inesperada e totalmente maravilhosa. Quão maravilhoso é sentir de forma profunda o Espírito Santo! Não há nada igual! Não há nada mais puro! Não há prazer no mundo que se compare a sentir a presença dEle que é tão real e intensa. Doce presença!

Eu estava leve. Me sentia no céu. Meu ser estava completamente imerso na paz e no amor de Jesus. Coração leve. Mente tranquila. E a certeza de que Ele existe! Eu pude sentir de tal maneira que era quase palpável. Não parando por aí… Logo minha outra prima, Paloma disse que queria conversar comigo. Então fomos para meu quarto conversar. Sentamos na cama e ela começou a dizer das visões que ela havia tido comigo, com relação a minha vida em si e com relação ao meu ministério. Uma delas que posso relatar para vocês, foi quanto ao meu ministério pastoral em que ela me via exercendo ao lado do meu futuro esposo. Deus já havia preparado tudo. Ele já preparou tudo para mim e para você. Ouvi atentamente cada palavra que saia da boca dela. Eu estava extasiada. Imersa na alegria. Que noite maravilhosa!

Ele é um Deus que escuta nossas orações e faz de acordo com a vontade dEle se assim permitirmos. Eu jamais havia pensado que eu seria batizada no Espírito Santo, antes de ser batizada nas águas e em casa, no aniversário da minha mãe, meses antes de eu completar meus exatos 15 anos. Melhor presente eu não poderia receber.

Creio que ser batizado no Espírito Santo não nos garante a salvação. Creio que o batismo no Espírito Santo assim como outras formas em que Deus se manifesta, é uma forma dEle testificar em nós que Ele é real. Sinto como se fosse um mimo vindo da parte dos céus. Algo que ajuda a crescer nossa fé. Nos aprofunda no conhecimento de quem é Deus. Experiências com o nosso Criador. Mas isso não nos garante salvação. O que quero dizer é que não adianta falarmos em línguas estranhas e sentirmos coisas maravilhosas, se nas nossas práticas comuns do dia a dia não forem de acordo com a palavra de Deus. Um conjunto!  Mas posso dizer com total convicção, foi a melhor experiência da minha vida!

O que achou desse texto? Deixe seu comentário ❤