QUAL O PROPÓSITO DOS MEUS PEDIDOS? | por Lara Dias

Vivemos tempos em que tudo o que fazemos esperamos uma recompensa, aplausos, uma placa com nosso nome, esperamos pelo reconhecimento dos homens, mas, já tem um tempo que estou aprendendo que esse tipo de barganha com Jesus não rola. As coisas no evangelho não são bem assim, a recompensa vem sempre, talvez não da forma como esperamos, mas ela vem.

O engraçado de tudo é que não merecemos nem um pouco do que recebemos por graça (favor imerecido), por mais que achemos que sim: poxa Deus, fiz isso, o que receberei em troca? Te digo uma coisa, se o que te move a fazer algo para Deus é o que você vai receber de retorno, melhor não o fazer, porque graça maior que o direito de sermos salvos e co-herdeiros dos céus já é muito mais do que nossas necessidades terrenas, ou como a própria definição de graça o diz, é muito, muito mais do que merecemos, mas como somos cobertos por um amor incalculável, acabamos tendo privilégios dados a nós por Deus. Chega a ser hipocrisia se sujeitar a tal papel perante um Deus que é exclusivamente tudo o que precisamos.

Todos os dias temos sido aproveitadores da graça de Deus, temos que parar com isso!

Diante disso tudo o que falei quero trazer a reflexão: estamos buscando ser conhecidos ou reconhecidos na terra ou sermos conhecidos e reconhecidos pelo céu?

“Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres.”
Tiago 4:3

Você já parou para pensar no que tem motivado seus pedidos à Deus? Por exemplo:

Senhor, me dê o dom de levar sua palavra à povos e nações!

Senhor me dê o dom de “saber” cantar!

Senhor me dê o dom de interpretação de línguas… ou até mesmo outros “benefícios” que satisfazem nossa carne apenas.

Não estou fazendo um manual de como saber pedir coisas à Deus, mas ao mesmo tempo pedir algo que corrompa nossa vida perante Ele, com certeza não receberemos, essa palavra de Tiago é clara, não recebemos ou receberemos algo que não sabemos pedir ou muito menos usar.

Eu sou apaixonada pelo ministério da palavra, e já pedi muito a Deus para me abençoar com esse dom de ministrar sua palavra com ousadia e discernimento.

Mas um dia Ele se voltou a mim e me fez tal pergunta: Para que você quer que eu te agracie desta forma?

E aí gerou-se em mim conflitos internos, a guerra do espírito com a carne. Sabe por que? Eu pedia algo a Deus e não sabia bem para o que queria e muito menos como usar. Queria aprender a “pregar” para ser reconhecida como uma mulher sábia, como uma pregadora máster? Ter minha foto em banners de grandes congressos, receber ofertas que me enriquecessem nesta terra? Ou ter entendimento na palavra assim como um relacionamento intenso com Jesus à ponto de inspirar vidas a conhece-Lo pela palavra e assim apaixonar-se por Ele?

Temos que saber bem o que pedimos a Deus, temos que conhecer nosso coração porque lá está nosso tesouro.

Somos presenteados todos os dias por Ele, mas se ainda assim acreditamos que não recebemos Dele o que nosso coração deseja, precisamos descer mais nossos conceitos e entender os conceitos de Deus.

Se tem algo a pedir, saiba bem o que pedes, e saiba bem se o que tem pedido tem agradado o coração de Deus.

Se pede para pregar, que seja para engrandecer e glorificar a Deus, que Ele te use, e que Ele cresça e apareça através de você.

Se pede para louvar, ter seu ministério, sua banda para levar a palavra cantada, que seja para glória de Deus, que o louvor de seus lábios venha trazer libertação.

Se pede dons de línguas, que seja para edificação da casa de Deus, do corpo de Cristo que possa ser cheio de Deus e menos do homem…

Tudo o que pedirdes, se o pedirdes bem, então o receberá para glorificação do nome de Cristo.

Deixe uma resposta