QUANDO O POUCO SIGNIFICA MUITO | Keith Green

Não se engane. Quando começamos a obedecer a Deus, precisamos fazer mudanças radicais no nosso estilo de vida.

Recentemente, Deus começou a tratar comigo acerca de uma área específica da minha vida. Isso realmente me impactou. Eu e Melody costumávamos sair muito para comer fora. Mas Deus nos convenceu de que não deveríamos comer fora tão frequentemente. Se possível, comeríamos em casa. Assim, começamos a fazer comida em casa, que nos custava um terço do que custava para comer em um restaurante.

Naturalmente, é muito melhor ter alguém para cozinhar, servir a comida e lavar os pratos. Mas fomos convencidos de que era um desperdício do dinheiro de Deus, pagar para que alguém fizesse o que nós mesmos podíamos fazer facilmente. Agora, o dinheiro que economizamos comendo em casa é dado aos pobres. É algo tão insignificante, mas procede de corações transformados.

Qualquer um pode pedir a Deus para mostrar como fazer coisas semelhantes. Deus procura pessoas que coloquem a si mesmas e seus recursos no altar para que Ele as use. Não apenas as sobras, mas as primícias.
Jesus repreendeu os fariseus por darem apenas o que lhes sobrava. Desse jeito, era fácil dar. Ele via esses sujeitos muitos zelosos dando o equivalente a mil dólares para o tesouro do templo. Então veio uma viúva e colocou dois centavos na caixinha. Parece ínfimo, certo? Mas Jesus disse:
 Em verdade vos digo que esta viúva pobre depositou no gazofilácio mais do que o fizeram todos os ofertantes. Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento. (Mc. 12:43,44)
À luz da oferta da viúva, a atitude dos fariseus é como a pessoa que não precisa de algo – por exemplo, uma blusa de frio – e resolve dá-la. A pessoa que precisa da blusa recebe e diz “glória a Deus!” e quem deu acha que está dando generosamente e obedecendo a Bíblia. Mas a verdade é que deu algo que estava pronto para jogar fora. Doamos apenas para liberar espaço para guardar o casaco de arminho que compramos. Isso não é sacrifício, e não é o estilo de vida que Jesus deseja que vivamos. Ele deseja usar tudo o que confiou a nós.Nossa generosidade mostra que toda a nossa vida está nas Suas mãos, e que nossa fé não é vã.
É fácil dar mais do que um homem rico: basta dar de coração. Jesus não olha para a quantidade que damos, mas olha para o quanto nos custa para darmos – quanto nos custa abrir mão de algo para ministrar aos outros. Jesus estava falando de sacrifício.

 

 

(Extraído de “Se Você Ama o Senhor“, Keith Green. pp.195,196. Ed. ABU)

Deixe uma resposta