QUEBRANDO AS REGRAS | Evangelizando na feira

Vivendo o ministério missionário, algo que compreendi é que esse chamado não nos permite ser limitados e muito menos presos à regras, lógico que tudo o que fazemos é com ordem e decência, afinal é o nome de Jesus que carregamos e o seu Reino que estamos anunciando, mas há certos costumes que não podemos nos prender, senão o evangelho não será anunciado em totalidade.

Em um dos dias da viagem, nossa líder programou um evangelismo diferenciado“evangelismo na feira livre” , abraçamos a ideia e fomos em direção a essa feira, pegamos um ônibus e fomos,  desde o trajeto já começamos a colocar em prática o que estava no coração de Deus: GANHAR VIDAS! Começamos a entoar louvores e entregar panfletos dentro do ônibus, foi incrível, era notável Jesus naquele lugar, descemos certos de que Jesus havia operado ali. Desembarcamos e seguimos à feira, a estratégia era causar um reboliço hahaha, nos reunimos usando instrumentos de corda e passeamos por aquela feira20160709_092941 louvando e propagando o evangelho de Cristo. Dançamos, pulamos, louvamos e evangelizamos, ufaaa…. que inusitado, falar de Jesus numa feira, mais inusitado ainda é chegar no lugar para fazer suas compras e ter um encontro com Jesus. Entendemos o propósito de Deus, Ele tinha pressa em alcançar aquelas pessoas e do modo mais inusitado foi ao encontro delas.

Após esse momento de adoração nos separamos por equipes e começamos a abordar as pessoas, e por incrível que pareça elas estavam dispostas a ouvir o que tínhamos para dizer a elas, foi algo extremamente incrível, nunca imaginei viver esse tipo de experiência, num ambiente tão inusitado pregar o evangelho, e o melhor ouvir alguém dizer: EU ACEITO JESUS COMO MEU SALVADOR.

A igreja tem um chamado, ele se chama IDE, Jesus deixou seus discípulos para que o ministério que Ele começou não parasse, não morresse. Nesse relato que eu dividi eu fui confrontada, porque nós nos limitamos muito a falar de Jesus achando que vamos incomodar as pessoas, que naquele momento ela está ocupada… mas só Jesus que sonda e conhece os corações e a alma de cada um, de certa forma eu me retrair em pregar o evangelho é o mesmo que impedir uma vida de ser salva.

Quando voltei para São Paulo algo ficou martelando em meu coração: “talvez aqui você não tenha uma feira livre por perto, mas frequenta tantos shoppings, há tantos super e hipermercados por aí, porque meu evangelho ainda não está sendo levado a esses lugares?” Isso de verdade me confrontou, porque realmente todo dia em todo lugar temos a oportunidade de levar a mensagem da cruz e não a fazemos.

Na bíblia, no evangelho de Marcos capítulo 16 e versículo 15 diz:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.”

Muitos não terão a oportunidade de ir a todo o mundo, mas todo um mundo passa por nós dia a dia, em todo lugar que estamos. O evangelho é uma porta de acesso para que tenhamos passagem à vida eterna, e Jesus confiou a chave dessa porta em nossas mãos seguidores Dele para que a porta seja aberta e outros possam passar.

4 Replies to “QUEBRANDO AS REGRAS | Evangelizando na feira”

  1. I am extremely impressed together with your writing abilities as well as with the structure to your weblog.
    Is that this a paid subject or did you customize it yourself?
    Either way stay up the nice high quality writing, it is rare to see a
    great blog like this one nowadays.

  2. Media in the Eastern Bloc was an organ of the state, completely reliant on and subservient to the communist party. Radio and television organizations were state-owned, while print media was usually owned by political organizations, mostly by the local communist party.[121] Soviet propaganda used Marxist philosophy to attack capitalism, claiming labor exploitation and war-mongering imperialism were inherent in the system.[122]
    [Link deleted]카지노사이트

  3. Media in the Eastern Bloc was an organ of the state, completely reliant on and subservient to the communist party. Radio and television organizations were state-owned, while print media was usually owned by political organizations, mostly by the local communist party.[121] Soviet propaganda used Marxist philosophy to attack capitalism, claiming labor exploitation and war-mongering imperialism were inherent in the system.[122]
    [Link deleted]바카라사이트

  4. Media in the Eastern Bloc was an organ of the state, completely reliant on and subservient to the communist party. Radio and television organizations were state-owned, while print media was usually owned by political organizations, mostly by the local communist party.[121] Soviet propaganda used Marxist philosophy to attack capitalism, claiming labor exploitation and war-mongering imperialism were inherent in the system.[122]
    카지노사이트
    예스카지노
    퍼스트카지노
    더킹카지노
    바카라게임
    바카라사이트
    온라인카지노
    슬롯머신게임
    블랙잭게임
    룰렛게임
    모바일카지노
    인터넷카지노
    라이브카지노
    실시간카지노
    코리아카지노

Deixe uma resposta