TRAPOS IMUNDOS JOGADOS AO CHÃO | Como eu venci a depressão por Giselle Prado

No último texto abordei o tema: IR AO PSICÓLOGO É FALTA DE FÉ? Leia aqui caso não tenha lido ainda.

Bem, hoje quero compartilhar com vocês de como venci a depressão.

Muitos de vocês me perguntam sobre isso, então não há nada melhor do que compartilhar o que Jesus faz e fez em nós e ministrar sobre outras vidas, não é mesmo?

Não quero contradizer o último texto que escrevi, pois como escrevi lá, entendo e acredito que Deus nos proporciona mestres para nos ajudar em áreas específicas. Porém ir ao psicólogo não basta… Vou explicar…

Tive uma infância e adolescência muito conturbada. Vi e vivi situações que me feriram profundamente e passei por outras que geraram traumas terríveis. Cresci com eles. Mas quando aceitei a Jesus com 14 anos, Jesus começou a me mostrar que eu tinha “tendências” a ser uma pessoa depressiva devida a muitas situações que eu havia vivido e que eu precisava colocá-las totalmente na cruz. Além disso, procurar ajuda, pedir oração para as pessoas e conselhos… Assim eu fiz.

Passou o tempo. Eu consegui lidar com os traumas e questões emocionais e espirituais. Jesus me ajudou. Porém chegado nos meus 18 anos, devido a uma situação na área sentimental, eu imergi no início de depressão profunda. Eu estava fraca espiritualmente nessa época, devido à não ser correspondida no amor e já não queria mais viver. Como consequência, parei de comer e emagreci absurdamente. Vendo tal situação deplorável, meus pais buscaram ajuda de pastores e eles aconselharam a procurar um psicólogo cristão. Assim fomos nós.

Tivemos que discernir e buscar ajuda… Porque discernir? A depressão pode ser algo físico (hormonal), emocional (traumas), ou espiritual. No meu caso era emocional e espiritual. A psicóloga me ajudou bastante, inclusive na questão de me direcionar a voltar a buscar a Deus como nos meus 14 anos. Ela tratou de mim o que devia ser tratado na questão emocional, e era o que estava a alcance dela. Deus usou a psicóloga, mas eu só fui curada 100% quando eu comecei a buscar um encontro verdadeiro com Ele novamente, então houve cura da depressão ligada à parte espiritual.

Tudo dependeu da minha entrega. Da minha entrega pra Deus em dizer: “Ok, Deus! Eu reconheço que estou no fundo do poço e preciso de ajuda. Podes então usar essa mulher com conhecimento para me ajudar? Você pode me ajudar também?”

Foi quando eu me lancei totalmente nos braços de Deus, que eu recebi a cura 100% emocionalmente e espiritualmente.

Então Ele me mostrou minha identidade de filha e meu propósito de vida, de tipo: “Você não é inútil. Você tem um propósito de vida. Deixa eu ser a Tua motivação”.

Cara, de certo que é bom ir ao psicólogo caso haja o discernimento para isso, mas Jesus sem dúvidas foi o meu melhor psicólogo. Eu O procurei e O achei. Eu O havia trocado por um amor que não me correspondia enquanto eu não estava O correspondendo e mesmo assim, Ele depois não me rejeitou ou lançou-me fora de Sua presença. Como não amar um Deus assim? Como não ser curada depois de descobrir esse amor que encobre minha multidão de pecados? Como não ser curada plenamente depois de entender que para Ele tudo é possível?

Ele mostrou minha identidade de filha amada. Me mostrou que não estou sozinha. Me alertou para eu parar de me comparar com outras garotas. Me aconselhou a não seguir o padrão da mídia. Me mostrou que Ele deve ser minha motivação. Me revelou um propósito que me liga a eternidade. Falou ao meu coração de que não preciso buscar ser aceita pelo mundo, mas buscar ser aceita por Deus.

É por isso que concordo plenamente com Ravenhill quando ele diz sobre pararmos de buscarmos diplomas e mais diplomas, pois intelectualismo pode ajudar até um certo momento, é algo limitado. Deus não! Ele ultrapassa as barreiras. Ele vai onde o entendimento humano não alcança, por mais estudado que seja, por mais que tenha mestrado, doutorado e o que for… Deus toca onde os médicos não conseguem tocar. Ele toca a eternidade das nossas vidas. E isso acontece através da oração. Eu busquei isso e consegui!

A psicóloga então não me ajudou? Sim, ajudou, mas ela não foi o suficiente. Ela não bastou. Entenda que não estou a rebaixando ou dizendo que ela não tem conhecimento. Não! Não é isso! Os especialistas estão aí somente para nos dizer por onde andar, mas é Jesus o caminho, não eles. E nós devemos andar pelo Caminho apontado por eles.

Por isso que digo… Se veio sobre você o discernimento de procurar um psicólogo, vá! Mas não ache que é o suficiente para te curar. Não ache que ele será capaz de algo que só Deus tem a capacidade. E esse algo requer muito mais que sentar em uma poltrona confortável em uma sala para ser ouvido. Requer porta fechada e oração. Foi assim que venci! E assim que tenho vencido… Foi eu falando com Deus e Ele falando comigo. Eu revelando e deixando ao chão meus trapos imundos e Ele me revelando preciosidades do céu.

Garanto que assim como o exemplo de Ravenhill, muitos de nós precisamos apenas de discernimento do que orar para sermos curados. Eu fui curada quando não somente ouvi Deus falar ao meu coração, como tomei posse daquilo que Ele estava falando pra mim como verdade imutável e absoluta.