VASOS MOLDADOS, CHEIOS DE POSSIBILIDADE | Heide Baker

Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel. (Jeremias 18:5,6)

Deus quer nos moldar em vasos que irão conter mais da Sua glória. Ele quer que nós entendamos quão diferente a vida pode ser quando somos cheios e derramados de novo, e de novo.

Por 26 anos nós fomos missionários, fazendo o nosso melhor para servir as pessoas à  nossa volta. Nós achávamos que estávamos fazendo certo. À medida que trabalhávamos, nos dedicávamos e labutávamos para o Senhor, ficando cada vez mais esgotados.  Nós honestamente pensávamos que era assim que sempre seria. Olhando para trás agora, nós estávamos presos a um falso sistema que dizia: “Se eu estou trabalhando para Deus, eu tenho que estar acabado e seco, esgotado ao limite e sempre miserável”. É uma mentira, mas é como nós vivemos por anos.

Isso foi, até que Deus irrompeu, derramando Seu doce Espírito Santo em nós. Ele nos moldou em sua roda de oleiro, amavelmente nos refazendo de modo que os nossos corações transbordavam vida, energia, amor e poder. Nós entendemos, pela primeira vez, como o amor do Senhor transforma completamente uma vida de maneira a se tornar como a dEle. Nós começamos a ver milagres, sinais e maravilhas, e o nosso amor e compaixão aumentaram. Era como se alguém tivesse ligado o interruptor de uma grande luz, e nós nunca mais estivemos em trevas novamente!

Agora nós somos constrangidos a amar aqueles a quem servimos por meio de um amor por Deus que nunca acaba. Por que? É o Espírito Santo que enche nossos vasos de barro, e tudo que fazemos vem dEle. Sabemos que o amor de Deus vive em nós, não porque nós merecemos, não porque somos melhores do que alguém, mas por causa do Seu lindo Espírito Santo. À medida que permitimos que Ele nos moldasse – tirando do pensamento de que tudo se tratava de nós para deixarmos tudo ser a respeito dEle – Sua presença em nós e ao nosso redor multiplicou-se. 

Nosso clamor agora é:

Convém que ele cresça e eu diminua. (João 3:30)

Mas, Jesus nos ama tanto que Ele nunca nos mantém pequenos. NEle, absolutamente nada é impossível: Não há limites!

Lucas 1:37 é parte do anúncio do anjo a Maria que sua prima mais velha, Izabel, que já passara da idade de poder gerar uma criança, estava grávida de seis meses de um menino que se tornaria João Batista, primo de Jesus. Se isso não fosse suficiente, Maria também teve que aceitar os termos da declaração que ela estava para conceber do Espírito Santo e dar à luz ao Filho de Deus, nove meses mais tarde. Que grandes notícias!

Deus não tem problema em tornar possível aquilo que nós pensamos que é impossível. Ele ama nos sacudir para fora do nosso pensamento pequeno e nos libertar das dúvidas sobre isso ou aquilo. Ele ama destruir as nossas suposições que dizem que, se de alguma forma, não pode ser feito em termos terrenos então não pode ser feito de maneira alguma.

Lembre-se, Ele ama nos moldar. Ele fala verdades onde nos acreditamos em mentiras. 

Você acha que Ele não pode te mudar? Ele pode! Você acha que você foi longe demais para ser resgatado? Você não foi! Você acha que está velho demais agora? Você não está! Você acha que tem que esperar até que seja mais velho? Você não tem! Nada é impossível para Ele! É o amor dEle que muda tudo.

Eis aqui algumas boas notícias para você: Sem Ele, você nunca será bom o suficiente. Eu nunca serei boa o suficiente. Nós não somos nada sem Deus. Ele pega nossas pequenas vidas, derramadas a Seus pés, na lama, e nos surpreende com Seu amor. Quando nós O vemos em toda Sua beleza e permitimos que Ele nos molde e nos encha com seu Seu Espírito Santo, nós deixamos de olhar para nossas falhas e erros, porque nossos olhos são atraídos apenas para ver unicamente Ele.

A menos que Ele me encha, tudo é impossível.Quando Ele me enche, nada é impossível!

Texto extraído do Devocional: Reckless Devotion (by Rolland and Heidi Baker), publicado em inglês pela editora River Publishing.

Deixe uma resposta